Guia da Bundesliga 2020/21 - Colônia



A temporada 2020/21 da Bundesliga está prestes a começar. Por isso, a equipe do Fussball Brasil se reuniu para fazer um guia da temporada para você ficar por dentro das equipes que disputarão esta edição da primeira divisão do Campeonato Alemão. Aqui, falaremos sobre o Colônia - clique para conferir o guia completo.

INFORMAÇÕES BÁSICAS

Participação: 49ª
Títulos do Campeonato Alemão: 3
Estádio: RheinEnergieStadion (50,000)
Cidade: Colônia, Renânia do Norte-Vestefália
Apelido: Die Geissböcke (Os Bodes)

COMO FOI A TEMPORADA 2019/20

Campeão da segunda divisão em 2018, o Colônia voltou à Bundesliga com o intuito de fugir do rebaixamento, algo que atormenta o clube há muito tempo. E ele foi bem-sucedido. Com um começo de temporada surpreendente, a equipe chegou a sonhar com uma vaga na Liga Europa em alguns momentos da competição. Porém, um retorno ruim depois da parada da competição fez com que o time entrasse em declínio, se livrando, por pouco, de mais um descenso.

O QUE ESPERAR DA TEMPORADA 2020/21

A torcida do Colônia não tem motivos para crer que a temporada que irá se iniciar será muito melhor do que a que passou. A manutenção de Gisdol, que teve um fim de temporada desastroso no comando técnico da equipe, e a perda de Uth, um dos maiores destaques do time em 2019, só aumentam o desespero que cerca o belíssimo RheinEnergieStadium. Para piorar, Jhon Córdoba, artilheiro absoluto da equipe na temporada anterior, deve deixar o Colônia antes mesmo do início da Bundesliga. Um claro sinal da saída do colombiano foi a chegada do centroavante Sebastian Andersson, que deve ocupar o comando de ataque dos bodes. Além de Andersson, Ondrej Duda também foi contratado pelo Colônia, que se mexeu no mercado, conseguindo boas peças de reposição.

QUEM CHEGOU E QUEM SAIU

Contratados: Sebastian Andersson (29 anos/ Union Berlin), Ondrej Duda (25 anos/ Hertha Berlin), Ron-Robert Zieler (31 anos/ Hannover 96 - empréstimo)

Retornos: Jannes Horn (23 anos/Hannover 96), Salih Özcan (22 anos/Holstein Kiel), João Queirós (22 anos/Willem II), Lasse Sobiech (29 anos/Royal Excel) e Jan-Christoph Bartels (21 anos/Wehen Wiesbaden)

Promovidos: Tim Lemperle (18 anos/ Colônia U-19) e Robert Voloder (19 anos/ Colônia U-19)

Saídas: Louis Schaub (25 anos/luzern), Jhon Córdoba (27 anos/Hertha Berlin) Lasse Sobiech (29 anos/ Zurich - empréstimo), Simon Terodde (32 anos/ Hamburgo), Marcel Risse (30 anos/ Viktoria Köln - empréstimo), Vincent Koziello (24 anos/ CD Nacional - empréstimo), Jan-Christoph Bartels (21 anos/ Waldhof Mannheim), Kingsley Schindler (27 anos/ Hannover 96 - empréstimo), Niklas Hauptmann (24 anos/ Holstein Kiel - empréstimo), Yann Aurel Bisseck (19 anos/ Vitória de Guimarães - empréstimo), Birger Verstraete (26 anos - Royal Antuérpia - empréstimo), Tomas Ostrak (20 anos/ MFK Karvina - empréstimo), Brady Scott (21 anos/ Nashville SC), Thomas Kessler (34 anos/ aposentadoria), Mark Uth (28 anos/ Schalke 04 - fim de empréstimo) e Toni Leistner (29 anos/ Queens Park Rangers - fim de empréstimo)

JOGADOR DESTAQUE (SEBASTIAAN BORNAUW)

Com a saída de Jhon Córdoba, o posto de principal jogador dos bodes caiu no colo de Sebastiaan Bornauw. O zagueiro belga, de apenas 21 anos, é o grande pilar defensivo da equipe de Markus Gisdol. Além de extremamente seguro na defesa, destoando dos seus companheiros de zaga, Bornauw é muito eficiente na bola parada. Os seus feitos ofensivos fizeram do jovem defensor o segundo maior goleador da equipe na temporada passada, com seis tentos.



JOGADOR PARA FICAR DE OLHO (ISMAIL JAKOBS)

Idade: 21 anos
Posição: Ponta/Meia-esquerda

Jovem, habilidoso e irregular. O ponta Ismail Jakobs é um atacante talentoso e veloz. Apesar de ser uma das promessas da equipe, ainda oscila muito, algo normal para a sua idade. Sua posição, a ponta esquerda, tem tudo para ser ocupada por ele nesta temporada, ainda mais que, sem Uth, sobra mais uma vaga no ataque dos bodes. Seu futuro promissor o levou à seleção alemã sub-20, quando fez seu jogo de estreia no dia 3 de setembro de 2020.



COMO JOGA E TIME BASE

Assim como boa parte dos clubes alemães, o estilo de jogo praticado pelo Colônia é bastante vertical e reativo, apostando bastante no contra-ataque para chegar aos gols. A equipe costuma subir a marcação, mas sem obter grandes resultados. A saída de bola é por baixo, apesar de bastante deficitária. A principal jogada do Colônia é a bola lançada para Andersson/Córdoba. Os bodes dependem muito do seu centroavante para se armar. É o pivô de Andersson/Córdoba que possibilita a organização ofensiva da equipe, que joga bastante pelos lados, sempre à procura do colombiano. Além disso, a equipe de Gisdol sofre muito quando pressionada, rifando a bola em muitos momentos. Apesar de talentoso, é Katterbach quem mais sofre com a pressão na saída de bola. A presença de Hector na frente da zaga dá segurança para o Colônia, que conta com a sua boa visão de jogo para construir algumas jogadas por baixo. Já Skhiri é imponente fisicamente e possui boa chegada na área. Por fim, olho em Bornauw quando o Colônia tiver a possibilidade de lançar a bola na área. O zagueiro belga é um exímio cabeceador

4-2-3-1: Horn; Ehizibue, Bornauw, Czichos/Meré e Katterbach; Hector e Skhiri; Kainz, Duda/Draxler e Jakobs; Andersson/Córdoba.



PALPITE

Samuel Novaes (Fussball BR): Luta contra o rebaixamento

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.