Por que os alemães tem toda essa aversão ao RB Leipzig?

Se você foi uma das pessoas que acompanhou avidamente as redes sociais durante as fases eliminatórias da UEFA Champions League, você percebeu que, apesar de apresentar um futebol moderno e ser uma equipe muito jovem, o RB Leipzig foi um dos times que mais recebeu ofensas nos últimos tempos, pelo menos dentre as pessoas que acompanham de perto o futebol alemão. Mas por que esse fenômeno com um time tão jovem e que vem apresentando um trabalho tão promissor? 


Fonte: Getty Images
Bom, para todos aqueles que ainda não sabem a história do jovem Leipzig, antes de 2009, o clube simplesmente não existia, até que a empresa austríaca Red Bull tomou o controle de uma tradicional e pequena agremiação, chamada SSV Markranstädt, que na época estava disputando a quinta divisão alemã. Logo de cara, a empresa mudou o nome da equipe, seu logo e suas cores tradicionais para que se encaixassem no padrão que eles já haviam criado nas equipes de NY e Salzburg.

Em, apenas, oito temporadas, o RB Leipzig já havia alcançado a Bundesliga e, apenas, um ano depois estava disputando a Champions League. Na sua primeira temporada na primeira divisão, chegou a ficar 4 pontos na frente do poderoso Bayern de Munique e tinha chances reais de ser campeão. Algo inédito para um campeonato que está acostumado a ver poucas equipes diferentes brigando pelo título.

Muitos pensariam que isso poderia ser algo bom para o campeonato, sangue novo para disputar com os gigantes, algo que deixasse a competição mais emocionante. Porém essa não foi a reação dos alemães, que simplesmente odiaram ver esse time crescendo de uma maneira tão rápida e, a partir desse momento, o time da Red Bull se tornou um dos mais odiados em toda a Bundesliga. Se você acompanha o futebol alemão e não tem o Leipzig como um dos seus times favoritos, provavelmente, você tem ele como um dos seus times mais detestados.

Fonte: Reuters/Michaela Rehle

Para entender o porquê disso, você precisa saber que, para os alemães, o futebol não é visto como um negócio ou algo do tipo, é simplesmente um esporte sagrado; alguns, até mesmo, consideram-no "a cola que junta toda a sociedade". Portanto, utilizar-se de um clube para fazer propagandas, como a Red Bull faz com o Leipzig, é quase um pecado na cultura deles. Existem até regras que impedem isso de acontecer, como por exemplo a 50+1, que, basicamente, impede que uma empresa ou pessoa física detenha mais de 50% dos ativos de um clube, fazendo com que a maioria do capital sempre permaneça nas mãos do próprio clube. Essa regra não se aplica caso uma empresa esteja patrocinando a equipe por mais de duas décadas, o que obviamente não é o caso em Leipzig.

Porém, a empresa austríaca conseguiu passar por cima dessa lei, mesmo sem o investimento de duas décadas. Eles fizeram isso da seguinte maneira: compraram 49% dos ativos do clube e os outros 51% que sobraram, foram colocadas à venda por um preço exorbitante e a própria Red Bull escolheu quem poderia investir nessas ações, algo que aos olhos alemães, soa como uma ofensa.

Existe, também, uma regra que impede as equipes de serem nomeadas por uma corporação, porém eles também conseguiram passar por cima dessa lei. Muitas pessoas acham que o famoso "RB", conhecido por conta da bebida energética, significa "Red Bull", porém como a lei alemã impede, a sigla foi mantida, mas com o significado alterado para "RasenBallsport", que a tradução literal é "esporte com bola sobre o gramado". Obviamente isso deu muito certo, porque a primeira associação feita com essas duas letras, é sempre o nome da empresa.

Você pode ser um admirador do RB Leipzig devido ao seu projeto jovem e super ambicioso, que vem dando muito certo, ou você pode odiar o clube pelo fato deles terem passado por cima de algumas leis e ido na contramão do que o futebol alemão representa. Porém o fato é, independente do sucesso financeiro e esportivo que o clube esteja tendo, a maioria dos alemães, sejam eles rivais ou não, já formou sua opinião sobre o clube do leste alemão.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.