Dança das cadeiras no futebol alemão: as mudanças nos comandos técnicos dos clubes das principais divisões para o início da próxima temporada

Sebastian Hoeness, Daniel Thioune e Nora Häuptle

A única mudança para próxima Bundesliga foi realizada pelo Hoffenheim. O Kraichgauer admitiu o jovem Sebastian Hoeness, filho de Dieter e sobrinho de Uli Hoeness, que em 2019/20 levou o time b do Bayern de Munique ao título da 3. Liga, a terceira divisão do futebol alemão. Desde a saída de Alfred Schreuder, em meados de junho, a equipe era comandada por um corpo técnico formado por Marcel Rapp, que dirige o time U-19, e outros membros do clube.

Após a segunda tentativa de voltar à elite falhar, o Hamburgo demitiu Dieter Hecking (que assumiu um cargo diretivo no Nürnberg) e, para seu lugar, contratou o jovem Daniel Thioune, que fez grande trabalho à frente do Osnabrück, que por sua vez contratou Marco Grote, até então técnico do Werder Bremen U-19. O rival local dos Dinos, o Sankt Pauli, também mudou de comandante: Timo Schultz, que dirigia a equipe b dos Piratas assumiu o cargo no profissional no lugar do neerlandês Jos Luhukay.

O Darmstadt foi outro que mudou de técnico, os Lírios não prosperaram na tentativa de estender o vínculo com o grego Dimitrios Grammozis e, para seu posto, trouxeram Markus Anfang, que estava desempregado desde junho de 2019, quando deixou o Colônia.

Na terceirona, três times mudaram de treinador: Waldhof Mannheim, Meppen e Bayern de Munique II. O Magdeburg, que estava sem um técnico efetivo desde a demissão de Claus Wollitz em junho, resolveu promover Thomas Hossmang, que era o comandante do time U-20 do clube e, na reta final da última 3. Liga, assumiu o cargo interinamente na equipe principal.

O Waldhof Mannheim, almejando voltar ao segundo escalão, buscou Patrick Glöckner no Chemnitzer para o lugar de Bernhard Trares, que não teve seu contrato renovado. Já o Meppen contratou o ex-volante Torsten Frings para o lugar de Christian Neidhart, enquanto o Bayern II ainda não anunciou um novo comandante.

Para nova temporada da Frauen-Bundesliga ocorreram quatro mudanças, promovidas por Hoffenheim, Turbine Potsdam, Duisburg e SC Sand. O Hoffenheim, após 12 anos, não terá mais Jürgen Ehrmann instruindo as atletas. O grande responsável pela ascensão esportiva do Hoffe na categoria será diretor esportivo do clube, enquanto Gabor Gallai, assistente de Ehrmann por cinco anos, passará a ser o responsável pela equipe. Em Potsdam, Sofian Chahed pegou o lugar deixado por Matthias Rudolph, que não teve seu contrato com o Turbine renovado e saiu após o término da temporada 2019/20. 

Em Duisburg, as Zebras do MSV apostam, novamente, em Thomas Gerstner para função que pertencia a Robert Augustin, que deixou o posto vago para ir em busca de novos desafios. Por fim, o Sand demitiu Sven Thoss, contratado em dezembro de 2019, e contratou Nora Häuptle, da Seleção Suíça sub-19. Nora, inclusive, será a única mulher no comando técnico de alguma das 12 equipes da Frauen-Bundesliga na próxima temporada.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.