Wendell fala de isolamento e volta do futebol alemão: "Vai ser a liga mais vista do mundo"

Foto: Facebook
O lateral-esquerdo Wendell reconhece que a Bundesliga vai servir de exemplo para o resto do mundo com a volta do futebol. Prestes a retomar o calendário de jogos com o Bayer Leverkusen, ele afirmou que a Bundesliga está exigindo mais rigor no isolamento social dos jogadores nos últimos dias, apesar da Alemanha já estar afrouxando regras para a população em geral.

"A gente há duas semanas estava podendo sair pro parque, ir no supermercado e fazer as coisas que o governo tinha liberado. Mas agora os médicos do clube e a liga proibiram porque a gente sabe que a gente está voltando e vai ser a liga mais vista do mundo hoje. A gente precisa estar bem controlado e agora nossa rotina é treino-casa, casa-treino. A gente recebeu essa ordem de não sair e de estar todo mundo bem focado nessa quarentena", disse em entrevista ao jornalista Thiago Rabelo, do DAZN.

Wendell afirmou que as atividades do treinador Peter Bosz já estão acontecendo com a intensidade normal, apesar dos cuidados ao interagir com os companheiros quando a bola está parada. "Claro que você não fica de contato toda hora, ou toquinho na mão, ou abraço", explica o brasileiro, que ri ao imaginar como vão ser as comemorações de gol daqui até o fim da temporada. "Vai ser uma comemoração inusitada porque normalmente você corre pra torcida. E agora sem público vai ser um pouco difícil você encontrar uma maneira de comemorar".

Em um elenco cheio de jogadores sul-americanos, os três que estão lá há mais tempo construíram uma relação especial. Wendell citou Charles Aránguiz e Lucas Alario como seus companheiros mais próximos em Leverkusen. Os três já tiveram a experiência de jogar sem torcida, o que não é o caso dos europeus. "Pra todo mundo vai ser difícil, principalmente para os alemães que estão sempre com estádio cheio e estão acostumados a jogar sempre com todos os estádios lotados", lamentou.

Peter Bosz costuma mudar o time de um jogo para o outro e Wendell acredita que o ritmo do rodízio vai aumentar ainda mais com o novo calendário. "São muitos jogos em pouco tempo, então a gente sabe que vai rodar o elenco bastante", avaliou. O Bayer Leverkusen tem nove rodadas a disputar pela Bundesliga e também está nas semifinais da Copa da Alemanha. Portanto, tem dez jogos garantidos até o dia 27 de junho.

Mesmo com os riscos envolvidos diante de uma pandemia, o brasileiro também disse ao DAZN que confia nos protocolos criados para proteger os jogadores. "A gente está muito confiante que vai dar tudo certo. O governo vem trabalhando muito bem para que tudo aconteça da melhor maneira possível, o clube vem trabalhando forte pra isso". Para ele, o medo neste momento não é maior que o alívio por estar voltando a fazer o que gosta.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.