O mercado de inverno do Hertha Berlin

O "namoro" entre Hertha Berlin e a Janela de Transferências, que começou no ano passado, atingiu outro nível, e neste inverno europeu veio a "festa de casamento"  —  cujos convidados foram quatro — mais cara de toda Europa 

Arte de apresentação de Krzysztof Piątek, contratação mais cara da história do clube (Divulgação/Hertha BSC)
Em 2019, o empresário Lars Windhorst adquiriu a maioria (49,9%) das ações do Hertha Berlinmirando fazer altos investimentos, e nas últimas duas janelas de transferências, o clube quebrou seu próprio valor recorde de transferências em três oportunidades: primeiramente com Dodi Lukebakio (20 milhões de euros), em julho de 2019, posteriormente com Lucas Tousart (25 milhões de euros) e por último com Krzysztof Piątek (27 milhões de euros). Inicialmente, a compra recorde da Alte Dame havia sido efetuada em 2017, quando adquiriu o atacante Davie Selke junto ao RB Leipzig, por 8 milhões de euros. Investimento este, que não rendeu frutos com longevidade. Inclusive, o atacante deixou o clube rumo ao Werder Bremen nesta janela de inverno. 

Em fase de reconstrução sob o comando de Jürgen Klinsmann, o Hertha investiu 78 milhões de euros nesta janela de transferências, com as contratações de Santiago Ascacibar, Matheus Cunha e dos já mencionados Krzysztof Piątek e Lucas Tousart, que se apresenta apenas na próxima temporada; o valor aumenta para €111 milhões se somadas as contratações feitas na janela de julho de 2019. Tempos dourados em Berlim.

Fato é que esta reconstrução se fazia necessária, tanto para o clube, quanto para a cidade, que merece ter protagonismo dentro do futebol no país. Sobretudo os torcedores mereciam isso. Tudo esse valor pode ter sido gasto em vão e os jogadores não corresponderem às expectativas? Claro, nem sempre tudo dá certo, mas ninguém acerta sem ao menos tentar, e o Hertha foi muito bem em suas decisões, agora o que vir é consequência do trabalho efetuado.

As saídas que foram confirmadas também foram extremamente positivas, em especial a de Daishawn Redan, que foi emprestado ao FC Groningen, da Holanda — seu país natal — para se desenvolver. Ondrej Duda, Maurice Čović, Dennis Jastrzembski, Eduard Löwen, emprestados, Sidney Friede e Davie Selke , em  definitivo, também deixaram o clube. 

É previsto que todos os jogadores emprestados retornem ao clube no começo da próxima temporada, mas nem todos devem permanecer. Ondrej Duda é o único que tem (teria) vaga cativa nesta equipe, o motivo pelo qual deixou o clube não foi devidamente explicado, algo entre ele e Klinsmann pode ter acontecido, pois chegou a ser colocado pra atuar com a equipe U-21 do clube antes de sua saída. Daishawn Redan é o mais jovem e mais promissor deste pacote, sua saída foi ótima para beneficio proprio, já que estava atuando com a equipe B do clube na Regionalliga Nordost e não competia em nível profissional. No período que atuou no Hertha BSC II, marcou 4 gols e perfez 2 assistências em 8 jogos. 

Santiago Ascacibar

Primeira contratação feita pelo Hertha na janela de inverno, Ascacibar é um meia-campista versátil, podendo atuar também como primeiro-volante devido a boa postura defensiva. Até o momento, atuou em 3 partidas sob o comando de Klinsmann, todas na função de primeiro marcador. Destaca-se pelos combates e passes curtos e em profundidade. O argentino foi contratado junto ao VfB Stuttgart e custou 11 milhões de euros ao clube. 

Idade: 22 anos | Posição: Meia-Central | Valor de Mercado: €10 milhões

Santiago Ascacibar em ação pelo Hertha (Getty Images)

Lucas Tousart

Segunda contratação mais cara da história do Hertha Berlin, Lucas Tousart reforçará a equipe apenas na próxima temporada, por ora permanecerá atuando pelo Lyon, da França. Assim como Ascacibar, atua em mais de uma posição no meio-campo, entretanto se dá melhor defensivamente, sendo um combatente nato por cima e por baixo. A parceria entre o francês e o argentino será interessante de ver. 

Idade: 22 anos | Posição: Volante | Valor de Mercado: €20 milhões

Lucas Tousart ao lado de Michael Preetz, diretor executivo de marketing e comunicação do Hertha (Divulgação/Hertha BSC)

Matheus Cunha

A contratação de Matheus Cunha foi uma ótima tacada do Hertha vide o que o garoto desempenha nas categorias inferiores da Seleção Brasileira. Técnico, bom finalizador e passador, Cunha tem tudo para deslanchar em Berlim. Custou 15 milhões de euros.

Idade: 20 anos | Posição: Atacante| Valor de Mercado: €13 milhões

Arte de apresentação de Matheus Cunha, que no momento está disputando o Torneio Pré-Olímpico com a Seleção Brasileira U-23 e ainda não pôde se apresentar no clube (Divulgação/Hertha BSC)

Krzysztof Piątek

Principal contratação do clube, Krzysztof Piątek chega ao Hertha em busca de reascender no cenário europeu, onde teve grande passagem pelo Genoa e bom início e depois queda brusca pelo Milan. Destaca-se pela finalização, cabeceio e bom posicionamento.

Idade: 24 anos | Posição: Atacante| Valor de Mercado: €32 milhões

Krzysztof Piątek em ação pelo Hertha (@pjona9official/Twitter)

Com todos esses reforços e novos que devem chegar na próxima janela de transferências, além dos retornos dos emprestados, espera-se que a próxima temporada do clube seja melhor do que está sendo esta e as anteriores. Em resumo, a janela de transferências do Hertha foi a melhor da história do clube, mas como toda festa, teve seu fim. É chegada a hora de por a parte difícil em prática: o “casamento” entre jogadores e técnico. 

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.