O que esperar do Borussia Dortmund na Champions League


A Alemanha tem três times nas oitavas de final da Uefa Champions League e o campeonato alemão não poderia estar melhor representado. Apesar do Borussia Mönchengladbach se firmar entre os primeiros da tabela, são os outros integrantes do G4 que produzem o futebol mais atraente e do país.

O talento ofensivo e poder de fogo de Bayern de Munique, Leipzig e Borussia Dortmund são capazes de ferir um adversário de diferentes formas, com diferentes jogadores. Os três já passaram dos 55 gols marcados nesta Bundesliga, enquanto o quarto melhor ataque do campeonato - que pertence ao Gladbach - ainda está em 42.

Com a principal competição de clubes da Europa começando sua fase mata-mata, vamos analisar o que torna essas equipes tão atraentes e também quais pontos fracos podem ser explorados pelos rivais. No primeiro texto, as principais características positivas e negativas do Borussia Dortmund.

Forças
O Borussia Dortmund se notabilizou em anos recentes - principalmente sob o comando de Jürgen Klopp - por ser um time que sufoca o adversário para recuperar a bola o mais rápido possível, marcando forte desde o campo de ataque. O time de Lucien Favre tem outra cara e não se incomoda em recuar para atrair o oponente e ser letal no contra-ataque. Considerando que a a Champions League reserva mais times que jogam pra frente do que defensivos, a estratégia pode cair como uma luva para os auri-negros.

Erling Haaland dá mostras de ser um excelente finalizador, com capacidade assustar o goleiro mesmo em situações improváveis. Mas é Jadon Sancho o melhor jogador do time nas duas últimas temporadas e quem melhor reflete as características da equipe no ataque. Rápido e driblador, ele decide muitos jogos carregando a bola em velocidade, seja com um passe ou um chute - em 20 jogos na Bundesliga, ele tem 13 gols e 13 assistências. O inglês é muito perigoso recebendo a bola na ponta-esquerda e levando ela em direção à grande área, mas em geral o trio de ataque do Dortmund se movimenta muito e não fica preso às laterais.

Quem tem liberdade pra usar os lados do campo são os alas Raphael Guerreiro e Achraf Hakimi. O português sabe iniciar as jogadas com um bom passe, enquanto o marroquino impressiona pela - olha ela de novo - velocidade, responsável direta por ele marcar quatro gols na fase de grupos da Champions League deixando adversários comendo poeira em contra-ataques. Na Bundesliga, o time de Lucien Favre tem talento suficiente para quebrar defesas recuadas, mas ele apresenta seu melhor futebol quando tem campo para acelerar e a tendência é encontrar esse ambiente na competição europeia.

Fraquezas
Não adianta apostar nos contra-ataques quando não se marca o suficiente para recuperar a bola. O grande problema do Borussia Dortmund na temporada - que começa com os atletas de frente - é a marcação fraca que muitas vezes prefere fazer sombra ao adversário do que dar o combate. Mesmo nos momentos em que avança seus jogadores e ameaça pressionar a saída de jogo, são frequentes os lances em que a marcação é frouxa e abre caminho para o oponente chegar na área de Roman Bürki rapidamente.

Emre Can chegou na última janela de transferências, já assumiu um lugar como titular e mostrou um poder de marcação acima da média do restante elenco do Dortmund, mas ainda é cedo para constatar se o ex-jogador da Juventus vai fazer seus novos companheiros de meio e ataque brigarem mais pela bola. Individualmente, quem mais vem sofrendo na defesa é o zagueiro Manuel Akanji. Erros dele das mais variadas origens já foram responsáveis por alguns gols adversários. A equipe alemã precisa superar as falhas pontuais e coletivas para que toda a produção de gols não acabe sendo em vão.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.