Resumo da 3.Liga - Parte 1

O primeiro turno da terceira divisão alemão foi intenso e as equipes vão brigar até o fim para alcançarem seus objetivos


Duisburg foi o grande campeão do 1° turno da Dritte Liga. Foto: En24News. Fonte: Google Imagens

No último dia 22/12, a 3.liga teve o encerramento da 20° rodada, primeira rodada do 2° turno, rodada que marca o início a pausa de inverno. Num campeonato de oscilações constantes, tanto na frente quanto no meio/final de tabela, teve como grande campeão do 1° turno, o MSV Duisburg, com uma campanha de 12V, 2E e 5D em 19 jogos. Alguns grandes times como o 1. FC Kaiseslautern, 1860 Munchen e 1. FC Magdeburg decepcionaram, mas todos vem se recuperando no campeonato, após inicio/meio de disputa ruins.



Para prosseguirmos o resumo, iremos dividir a tabela em 4 partes em 4 textos, e hoje iremos comentar sobre os 5 primeiros colocados. Texto original encontra-se no Medium.


1°- Duisburg


Saudação dos jogadores aos torcedores. Fonte: Twitter oficial do Duisburg




O grande campeão do 1° turno, dos cinco primeiros, foi quem teve desempenho e campanha mais estável, sempre próximos dos líderes, mesmo em momentos longe da ponta do campeonato. Torsten Lieberknecht, montou uma equipe com muito poder de fogo na frente, dando bastante liberdade para o principal jogador da equipe Moritz Stoppelkamp dentro de campo, coordenando as ações ofensivas, seja assistindo seus companheiros, tanto decidindo em gols. Outro destaque é o centroavante Vermeij, que com 8 gols foi o vice-artilheiro da equipe no campeonato sendo muito importante para a equipe das zebras. Suas principais características são o posicionamento e o cabeceio, marcando todos os seus gols de dentro da área e metade deles de cabeça. Olho no holandês!


2°- Ingolstadt


Saudação dos jogadores a torcida. Fonte: Twitter oficial do Ingolstadt.

     
A equipe do Sul da Alemanha, teve um início fulminante, com 5 vitórias nos primeiros 7 jogos, somando 17 pontos em 21 possíveis, mas a partir do mês de setembro, o rendimento caiu drasticamente e a equipe em 4 jogos somou apenas 1 ponto em 12 possíveis. O que foi primordial para a retomada dos Die Schanze, foi o bom desempenho e crescimento de Dennis Eckert, Stefan Kutschke, que nos últimos meses de temporada, marcaram 10 gols e deram 3 assistências.


3°- Waldhof Mannheim


 Em Zwickau, os jogadores do Waldhof Mannheim agradecem o apoio dos adeptos após a vitória fora de casa. Fonte: Instagram do Waldhof Mannheim


A grande surpresa da temporada até aqui, a equipe de Bernhard Trares, tem a melhor campanha fora de casa na 3. Liga, muito pela potencialização do modelo de jogo da equipe, que é baseado em transições. Dentro de casa é onde a equipe mais sofre para conquistar seus resultados, muito pela dificuldade da equipe em propor o jogo, a campanha reflete muito isso, sendo a 16° colocada em pontos dentro de casa, com 3 vitórias, 4 empates e 3 derrotas, sofrendo 16 gols e marcando apenas 14 gols. Os grandes destaques são: Gianluca Korte, Max Christiansen e Maurice Deville. Que somados 10 gols e 10 assistências. Totalizando quase 1/3 dos gols dos Buben Waldhof, ou seja, os garotos de Waldhof (alcunha da equipe) no campeonato.



4°- Eintracht Braunschweig


Benjamin KesselMartin Kobylanski e Danilo Wiebe festejando o gol de abertura do placar no empate contra o Preussen Munster. Fonte: Instagram oficial do Eintracht Braunschweig.


A equipe do Braunschweig, dos cinco primeiros foi certamente a mais instável no 1° turno, com demissão de técnico e desempenhos ruins. A equipe da Baixa Saxônia apostou em Christian Flüthmann para comandar a equipe nesta temporada e guiar a volta da equipe para a 2° divisão, os resultados foram convincentes, ele deixou o comando da equipe com 8 vitórias, 4 empates e 4 derrotas. Tendo média de 1,75 pontos conquistados por partida. Entretanto o objetivo, era estar no mínimo na zona de play-offs e de fato desempenhar um bom futebol. Com ele a equipe tinha pouquíssimas alternativas de jogo, muito previsível na maior parte do tempo e em cenários de organização ofensiva foi/é uma equipe muito pobre. Já com Marco Antwerpen foram 5 jogos, totalizando 2 vitórias, 2 empates e 1 derrota, mas até aqui não vimos grandes mudanças de desempenho na equipe. Se a proposição é um problema, o contra-ataque e o ataque rápido são os melhores cenários de jogo para os saxões, que dependeram bastante de Nick Proschwitz, Martin Kobylanski e Mike Feigenspan para obter vitórias na temporadas. Juntos marcaram 15 gols e 8 assistências. Participando de 48,8% das ações que geraram gols da equipe na temporada.

5°- Unterhaching


Jogadores do Unterhaching agradecendo aos adeptos o apoio dado no ano de 2019. Fonte: Instagram oficial do Unterhaching.
Chegando ao fim desta primeira parte deste resumo, vamos contar mais uma história de uma equipe reativa na Dritte Liga, modelo de jogo predominante entre os participantes. Desta vez, é o Unterhaching de Claus Schromm, uma equipe que teve um início e meio de temporada muito forte, mas com a queda de desempenho de Moritz Heinrich, Jim-Patrick Müller, a equipe caiu vertiginosamente de rendimento e de uma equipe que passou boa parte do 1° turno disputando a ponta da 3. Liga com o Hallescher e Duisburg, para uma equipe que busca por uma vaga nos play-offs. Realizando um recorte da rodada 10 até a rodada 20, rodada que marca a pausa de inverno. A equipe empatou 7 vezes, e em metade desses empates Nico Mantl, goleiro de equipe,teve papel fundamental, realizando grandes defesas. Venceu 2 jogos e perdeu 2 jogos, somando 13 pontos ao todo, obtendo a 5° pior campanha no recorte de estudo. Apesar da queda, é uma campanha muito boa e até surpreendente.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.