A guerra entre a torcida do Freiburg e um político da extrema-direita alemã

Este artigo foi baseado em uma thread no Twitter do @ftamsut 

Os Ultras do SC Freiburg foram contra um político do AfD, partido alemão de extrema-direita, e sofrem forte repressão por conta disso


Há quem diga que futebol e política não se misturam. Apesar disso, o mais comum é vermos que na verdade ambos sempre andaram lado a lado. E a Alemanha é um dos grandes exemplos disso. Principalmente na arquibancada, onde os torcedores e seus movimentos organizados intitulados de Ultras são os protagonistas desse tipo de manifestação. Neste texto em específico, falaremos sobre um caso que tem chamado a atenção na Floresta Negra, berço do SC Freiburg, clube que disputa a Bundesliga.

Em Agosto de 2019, Dubravko Mandic, um membro do conselho de Freiburg e político do AfD, partido populista de extrema-direita, postou em seu Instagram a seguinte mensagem: "Eu odeio futebol, mas como populista entendo que o futebol envolve as massas e por isso comprei ingressos para os jogos do Freiburg!" . No fim de semana seguinte, o Freiburg receberia o Mainz no Schwarzwald-Stadion e seus torcedores trataram de mandar um recado pra Mandic, que estava presente no estádio e assistiu aos protestos de perto. Faixas foram estendidas com mensagens ofensivas ao político, onde diziam coisas como "Caia fora, Nazista", "Mandic nazista filho da p*t*" e "O Freiburg é diverso"

A torcida do Freiburg não poupou críticas ao político

Se a intenção dos Ultras era atacar Mandic, a tática deu mais que certo. Irritado com os protestos, o político apresentou queixa na polícia por difamação. E foi a partir deste momento que as coisas começaram a ficar complicadas para os torcedores do Freiburg. Vários são os relatos de fãs de forte repressão policial. Torcedores foram presos antes de jogos da equipe mesmo sem apresentar qualquer tipo de comportamento violento. Revistas pesadas feitas por militares fortemente armados também se tornaram comuns, principalmente com o principal grupo Ultra do Freiburg, o Corrillo, autores dos protestos. Um jovem de 17 anos foi tirado de sua família e levado pela polícia enquanto esperava um lanche nos arredores do estádio. Dubravko Mandic, em uma aparente falta de preparo, tratou de ir à público dizer que "a guerra com os torcedores estava apenas começando", praticamente se entregando quanto a uma possível participação na repressão. 

É importante ressaltar que Mandic já foi visto, diversas vezes, fazendo apologias ao nazismo e anti-semitismo. Por sua vez, os torcedores do Freiburg são ativistas e lutam contra racismo, homofobia e sexismo, como já se pôde ver diversas vezes nos estádios. Esta guerra, que aparentemente não está perto do fim, é acima de tudo ideológica. E há quem diga que futebol e política não se misturam...


Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.