Entrevista exclusiva com Paulinho, atacante brasileiro do Bayer Leverkusen

Tivemos a chance de entrevistar Paulinho, jovem atacante do Bayer Leverkusen que nos contou um pouco da sua carreira e adaptação ao futebol alemão



Nascido no Rio de Janeiro em 2000, Paulo Henrique Sampaio Filho, mais conhecido como Paulinho, é um atacante brasileiro revelado pelo Vasco da Gama, que atualmente joga no Bayer Leverkusen, da Alemanha. O jovem é visto como uma das jóias do futebol brasileiro na atualidade, e vem buscando seu espaço no futebol germânico aos 18 anos de idade.

Confira um pouco da carreira de Paulinho antes da entrevista


Base da Seleção Brasileira

Paulinho em ação pela seleção brasileira sub-17 (Foto: Martin  Bernetti/AFP/Getty Images)

Paulinho tem vasta passagem pelas categorias de base da seleção brasileira, estreando com a Amarelinha no Sub-15, quando foi convocado pelo técnico Guilherme Dalla Déa para o Sul-Americano Sub-15, logo estreando com um gol no torneio diante do Chile, na vitória por 3 a 2. 

Paulinha viria a se destacar no Sub-17, onde foi campeão da BRICS Cup após bater a África do Sul por 5 a 1, também foi campeão do Sul-Americano Sub-17 na campanha invicta do Brasil, inclusive marcando na final na vitória por 5 a 0 contra o Chile. Foi terceiro colocado no Mundial Sub-17, após perder para a campeã Inglaterra nas semifinais da competição, e bater a seleção de Mali na disputa pelo terceiro lugar, naquele torneio, Paulinho foi quem classificou o Brasil às semifinais, após marcar o gol da virada diante da Alemanha na vitória por 2 a 1. O jogador sempre foi visto como uma peça diferente e fundamental entre os mais jovens.


Vasco

Paulinho comemora gol ao lado de Evander (Foto: MAURO PIMENTEL / AFP)

Paulinho assinou seu primeiro contrato profissional com o Vasco da Gama em dezembro de 2016, seis meses depois, já em 2017, foi integrado ao elenco profissional sob o comando de Milton Mendes. Na sua estreia com a camisa Cruzmaltina, saiu do banco e deu assistência na vitória por 4 a 1 ante ao Vitória no Barradão. Onze dias depois, Paulinho fez sua primeira partida como titular e marcou os dois gols do Vasco na vitória por 2 a 1 diante do Atlético-MG na Arena Independência, além de cair no braços da torcida, se tornou o jogador mais jovem a marcar na história do Campeonato Brasileiro, com apenas 17 anos e nove dias.

Vale a menção que Paulinho esteve na seleção do Campeonato Carioca 2018, além de ter sido eleito o melhor jogador e revelação da competição.

Uma das partidas felizes de Paulinho pelo Vasco, foi quando o atacante marcou o primeiro gol da partida e deu assistência para o segundo gol, marcado por Mateus Vital, na vitória por 2 a 1 contra a Ponte Preta, dando ao Vasco a classificação para à Copa Libertadores da América, em pleno São Januário, competição que o clube não disputava desde 2012. No fim daquele Brasileirão, Paulinho foi eleito a revelação do campeonato brasileiro 2017 pelo Esporte Interativo, superando Vinícius Júnior (Real Madrid) e Arthur (Barcelona), que à época defendiam Flamengo e Grêmio respectivamente. 

Paulinho estreou na Libertadores 2018 na fase pré-eliminatória da competição, e logo deu uma assistência para Evander, na vitória vascaína por 4 a 0 contra o Universidad Concepción, no Chile. Na partida da volta em São Januário, o atacante marcou o primeiro gol do jogo – se tornando o jogador mais jovem a marcar um gol pelo clube em uma Copa Libertadores – e deu a assistência para o segundo gol, marcado por Yago Pikachu, sendo decisivo na vitória por 2 a 0 que sacramentou a classificação da equipe para a próxima fase. No jogo seguinte, já pela fase de grupos, marcou na vitória por 4 a 0 ante ao Jorge Wilstermann. Infelizmente, Paulinho fez sua até então, última apresentação pelo Vasco, justo naquela Libertadores, após sofrer uma fratura no cotovelo esquerdo no empate em 0 a 0 com o Cruzeiro no Mineirão.

VEJA TAMBÉM: ENTREVISTA COM MÁRCIO AMOROSO, BRASILEIRO ÍDOLO DO BORUSSIA DORTMUND

Bayer Leverkusen

Paulinho em ação pela Liga Europa (Foto/Reprodução: Bayer Leverkusen)

No dia 25 de abril o Bayer Leverkusen acertou a contratação de Paulinho junto ao Vasco da Gama por cerca de 20 milhões de Euros, mas o jogador só se transferiu para o clube alemão em julho, quando completou 18 anos.

Com pouco sequência após recuperar-se de sua lesão, Paulinho demorou seis meses para jogar uma partida completa com a camisa dos Lowen's, no empate em 1 a 1 com o Ludogorets pela Liga Europa. À época a equipe era treinada por Heiko Herrlich, que deixou o clube em dezembro para a sucessão de Peter Bosz. Com a mudança de técnico muitas coisas mudam dentro de um clube, Bosz vem dando a Paulinho alguns minutos na primeira temporada do brasileiro em solo alemão, mas ainda não é o suficiente para o brasileiro tentar demonstrar seu talento. A partida que Paulinho mais tempo esteve em campo foi contra o Werder Bremen, e foram apenas 45 minutos jogados.

Paulinho já marcou com camisa do Leverkusen, na vitória diante do AEK Larnarka por 5 a 2, contudo, o jovem ainda não marcou no campeonato alemão em 144 minutos divididos entre as 13 partidas que foi a campo.

Agora, confira a entrevista exclusiva de Paulinho com Jonathan Gonçalves, um dos idealizadores do blog Fussball BR

1 - Jonathan Gonçalves: Qual a maior diferença entre o futebol alemão e o futebol brasileiro?

Paulinho: "A maior diferença que eu senti foi a intensidade. A intensidade do jogo aqui na Alemanha é muito maior do que no Brasil. No Brasil é comum vermos 'lacunas' durante um jogo, mesmo que seja entre grande equipes, você vê bastante 'lacunas' e pouca intensidade. Eu tive isso como referência depois que assisti jogos meus pelo Vasco, e quando cheguei aqui senti essa diferença. Eu já vim preparado, e claro que a gente tenta se adaptar o mais rápido possível pela forma em que eles jogam."

2 - Jonathan Gonçalves: Qual foi a sensação de jogar pela primeira vez na BayArena?


Paulinho em sua apresentação na BayArena (Foto/Reprodução: Bayer Leverkusen)

Paulinho
: "A sensação foi boa, principalmente por voltar a jogar depois de muito tempo fora dos gramados, jogar na BayArena foi gostoso. O estádio é bastante bonito, uma estrutura fora do normal."

3 - Jonathan Gonçalves: O que você acha do seus jovens companheiros de equipes, Julian Brandt, Kai Havertz e Leon Bailey?


Equipe do Bayer Leverkusen comemorando um gol (Foto/Reprodução: Bayer Leverkusen)


Paulinho: "São três jogadores muito promissores, Kai Havertz (19) e Leon Bailey (21) são mais jovens e tem um caminho longo pela frente. São bons e promissores jogadores, acho que no futuro eles podem brilhar em grandes níveis."

4 - Jonathan Gonçalves: Me fale um pouco da sua lesão que te afastou dos gramados por bastante tempo, como foi a recuperação?

Paulinho: "Me atrapalhou bastante, eu estava num momento perfeito da carreira, estava no melhor momento, não só eu mas o time do Vasco estava numa crescente boa e aconteceu àquela fatalidade. É claro que toda lesão atrapalha um pouco, ainda mais pelo tempo que fiquei, foram seis meses, eu me dediquei bastante na recuperação e não voltei tão mal quanto eu poderia voltar. Já me adaptei aqui na Alemanha, já me sinto bem, mas tenho que ter paciência porque aqui eles tem o costume de trabalhar com os jogadores jovens aos poucos em suas primeiras temporadas, eles dão uma 'segurada', eu estou esperando minhas oportunidades e eles sabem que podem contar comigo."

5 - Jonathan Gonçalves: Muitos jogadores brasileiros passaram pelo Bayer Leverkusen, como Lúcio, Juan, Zé Roberto, Jorginho, Renato Augusto e o pioneiro Tita, qual legado que eles deixaram que você vê como um bom exemplo a seguir na equipe? 

Paulinho: "Os jogadores brasileiros que passaram por aqui, sempre passaram no início de suas carreiras e isso parece ter ajudado bastante a todos eles. Espero que isso possa acontecer comigo também, porque eu trabalho muito e vou continuar trabalhando para ter um futuro de muitas conquistas assim como eles buscaram as deles."

6 - Jonathan Gonçalves: Na partida contra o Werder Bremen vi que ao fim do jogo você postou uma foto no instagram com Max Kruse, atacante do Bremen, com a legenda "Respect", me fala um pouco desse respeito pelos companheiros de profissão?

Paulinho: "São momentos que a gente tem que guardar, jogando contra grandes jogadores. Assim como joguei contra ele, joguei contra os jogadores do Bayern: Robben, Thiago, James Rodríguez, Lewandowski, todos esses... a gente tem o respeito porque eles lutaram muito para obter o sucesso e merecem todo o nosso respeito."

7 - Jonathan Gonçalves: Qual o jogador que você mais admira na Bundesliga?

Paulinho: "Jogador que eu mais simpatizei é o Sancho (Borussia Dortmund), que eu já conheço há algum tempo, jogamos contra na base, eu pela seleção brasileira e ele pela Inglaterra. É um jogador que vem brilhando muito na temporada e tem um futuro muito promissor, eu gosto muito dele."

8 - Jonathan Gonçalves: Qual a torcida adversária mais te impressionou em jogar contra ou ao menos ver?

Paulinho: "Sem dúvidas a do Borussia Dortmund. Eles fazem uma festa bonita que empurra bastante o time."

9 - Jonathan Gonçalves: Quais os aprendizados que você obteve com Heiko Herrlich, e agora tem com Peter Bosz?

Paulinho: "Eu tive pouco tempo de trabalho com o Heiko Herrlich, não deu pra aprender tanta coisa. o Peter é um excelente treinador, ele tem uma filosofia de jogo que eu to acostumando a jogar, da forma eu que eu jogava na seleção de base, com posse de bola e marcação muito forte. É um treinador que tá me relembrando essa filosofia que ajuda bastante um time a ser vencedor."

10 - Jonathan Gonçalves: A seleção brasileira de base te ajudou muito na sua formação? 

Paulinho: "Me ajudou bastante a conquistar essa bagagem e reconhecimento no Brasil. Assim como foi com o Vinícius (Real Madrid), Lincoln (Flamengo) e outro jogadores. Conquistamos títulos, como o Sul-Americano Sub-15 e 17, ficamos em terceiro no Mundial Sub-17, isso nos deu bastante experiência, nos mostrou como os jogadores do exterior atuam, tivemos bons jogos, conquistas e reconhecimento."

11 - Jonathan Gonçalves: Você já marcou três vezes com a camisa do Bayer Leverkusen, duas vezes no amistoso contra o Preußen Münster e uma vez na Liga Europa contra o AEK Larnarka, o que falta para marcar pela primeira vez na Bundesliga?



Paulinho: "Falta jogar, falta oportunidade. É como eu falei anteriormente, é normal essa situação aqui na Alemanha, na primeira temporada eles dão uma certa visão ao jovem jogador e trabalham da maneira deles. Eu to trabalhando para conquistar meu espaço, to conquistando pra poder fazer o que eu sei de melhor e ajudar minha equipe seja com gol ou assistência."

12 - Jonathan Gonçalves: Qual posição/função você mais gosta de exercer? Tendo em vista que você é um jogador versátil.

Paulinho: "Pelos lados do campo, principalmente pelo lado esquerdo, já joguei como 'falso 9' também, aqui o Peter está me lançando como meio-campo, me sinto bem também. Mas gosto de jogar pelos lados caindo pro meio, não é uma preferência, mas isso me facilita bastante."

13 - Qual é a importância do Vasco pra você? É sua prioridade numa eventual volta ao Brasil?

Paulinho: "Vasco foi minha segunda casa durante oito anos, onde eu dormi, estudei e fiz de tudo. É um clube que ficou marcado pra mim, com certeza é minha prioridade quando voltar ao Brasil, porque é o clube que mais tenho identificação e gratidão."

14 - Jonathan Gonçalves: Você é o jogador mais jovem a marcar no Campeonato Brasileiro, e o mais jovem a marcar pelo Vasco numa Libertadores, me diga um pouco sobre isso, qual é a sensação desses feitos?

Paulinho: "Não me imaginava batendo esse recorde, mas quando me avisaram que eu tinha essa possibilidade eu coloquei como meta. Quando eu comecei a entender mesmo de futebol na base, determinei que trabalharia com metas, e botei esse recorde como uma meta e aconteceu, dá um reconhecimento muito bom e eu fico feliz com isso. Fico muito feliz de ter batido esses recordes, sensação boa, ainda mais pelo Vasco que foi o clube que me criou e eu pude render tudo aquilo que eu rendi."

15 - Jonathan Gonçalves: Você sem dúvidas se imagina na seleção brasileira, disputando uma Copa do Mundo, como você se sente em relação ao futuro?

Paulinho: "O nosso futuro é incerto, a gente não consegue prever. Claro que tenho sonhos e objetivos, como de representar meu país numa Copa. Mas primeiro tenho que fazer o trabalho pelo meu clube, dando o meu melhor para ter o reconhecimento e ir conquistando esses objetivos por metas, passo a passo. O meu maior objetivo agora é conquistar ainda mais meu espaço no Bayer para ter um futuro de sucesso."

16 - Jonathan Gonçalves: O futsal ajuda bastante no início de suas carreiras, como foi sua experiência com a bola pesada? Te ajuda no campo?

Paulinho: "O futsal me ajudou muito, eu joguei desde os meus oito até os 14 anos. Ganhei títulos, aprendizados, dribles em espaço curto que me ajudaram bastante quando cheguei ao campo, você consegue sobressair com mais facilidade de outros atletas."

17 - Jonathan Gonçalves: O que você acha da polêmica e desnecessária comparação entre você e Vinícius Júnior?


Paulinho e Vinícius Júnior comemoram gol pela seleção sub-17 (Foto/Reprodução: CBF)

Paulinho: "Não tem polêmica quanto a isso, porque eu joguei junto com o Vinícius desde o Sub-15 da seleção na base. A gente sempre fez dupla ou trio de atacante junto com outros jogadores, a gente foi muito feliz, ganhamos dois títulos, fora os outros torneios que disputamos. Isso nos ajudou bastante para o nosso desenvolvimento e reconhecimento no Brasil quando fomos lançados ao profissional. Somos jogadores de características diferentes, apesar de às vezes jogarmos nas mesmas posições cada um tem a sua maneira de jogar."

18 - Jonathan Gonçalves: Você está feliz com a vida na Alemanha?

Paulinho: "Eu sou bastante feliz, é claro que a gente quer estar sempre jogando mas a gente tem que entender todas situações do clube, do país e etc. Eu sou feliz sim, to com a minha família aqui na Alemanha e buscando meu espaço para fazer o que eu mais amo que é jogar, eu vim pra cá jogar e eu quero jogar. São momentos, vou continuar batalhando como sempre fiz, desde quando comecei a jogar futebol."

19 - Jonathan Gonçalves: Deixe uma mensagem para todos os torcedores do Bayer Leverkusen no Brasil

Paulinho: "Um abraço a todos os fãs do Bayer Leverkusen, que estão sempre torcendo e nos acompanhando aqui na Alemanha, que continuem transbordando bastante energia positiva pra gente."

Essa foi a entrevista exclusiva com o jovem Paulinho, atacante promissor que busca sua afirmação no futebol alemão. Desejamos para ele um ótimo desenvolvimento e que possa conquistar muitas glórias em sua carreira. Agradecemos também pela disponibilidade em nos atender. Redes Sociais de Paulinho: Instagram e Twitter.




2 comentários:

Tecnologia do Blogger.