Como os líderes da Bundesliga se comportam com o placar empatado - e por que isso é um problema para o Dortmund


Os capítulos iniciais de cada partida do Borussia Dortmund nesta temporada se repetem quase todas as vezes que ele entra em campo. O time domina a posse de bola, tem longas sequências de passes na região do meio-campo, só que as reais ameaças ao goleiro adversário são raras. Ter os 11 oponentes atrás da linha da bola é um cenário que parece fazer o BVB travar, sem descobrir caminhos para entrar na grande área. Ainda assim, lidera a Bundesliga em gols esperados (xG), estatística que premia quem tem poder de fogo no ataque. O que parece uma incoerência na verdade é explicado por circunstâncias de jogo dos auri-negros, que produzem muito mais ofensivamente quando estão à frente no placar.

A teoria de que ataques fluem muito melhor quando há oportunidades para avançar em velocidade se aplica à maioria dos grandes times europeus, repletos de jogadores talentosos. Afinal, ataques com campo aberto significam chances para o brilho individual aparecer. Mas no Borussia Dortmund às vezes esse é o único caminho que leva ao gol. Pra piorar, o atual vice-campeão da Bundesliga tem problemas para tirar o adversário de trás e se colocar em posição de usar essa arma. Resultado: um time que gosta de contra-atacar, mas dificilmente cria as condições para isso. Lucien Favre já pagou a conta por não encontrar uma solução e foi demitido antes mesmo da metade da temporada.

Um aspecto que muitas vezes é deixado de lado nas estatísticas sobre futebol é que elas podem oscilar muito a depender de como está o placar um jogo, e o caso auri-negro nesta temporada reflete isso. Olhando os gols esperados (xG) dos cinco primeiros colocados da Bundesliga na virada de 2020 para 2021, é notável a variação no Borussia Dortmund. O xG/90 minutos é de 1,61 quando o placar está empatado e sobe para 3,39 quando o BVB está um gol à frente. A partida mais recente contra o Hertha Berlin é um ótimo exemplo: o time de Lucien Favre foi inofensivo no primeiro tempo, saiu perdendo, e o gol de empate levou o time a um xG de 1,05. Depois disso, choveram jogadas em velocidade em que a defesa adversária estava desorganizada e a equipe fechou o duelo com um xG de 2,83 e o mais importante: uma vitória por 5 a 2.


O tal xG pode significar pouca coisa se o time for eficiente e precisar apenas de pequenas chances para ficar em vantagem, mas esse também não é o caso do Borussia Dortmund, que tem a mesma quantidade de gols marcados e sofridos na Bundesliga enquanto o placar está empatado - ou seja, saldo 0, enquanto na temporada passada ele foi de +18. O Bayer Leverkusen, por outro lado, cria menos com a bola e também cede mais chances sem ela nessa situação. No entanto, Peter Bosz vê seu time clube marcar mais e sofrer menos gols em comparação com o seu ex-clube. Não por acaso o treinador holandês ficou a poucos instantes de passar a virada do ano na liderança do Campeonato Alemão.


O ideal é ser um Bayern de Munique atacando e um Leipzig defendendo. Com boa produção e eficiência dos dois lados do campo, a tendência é ficar poucoas vezes em desvantagem no placar. O que um time deve evitar é concentrar seu poder de fogo para quando ele está liderando, ainda mais quando ele tem dificuldades para se colocar nessa posição. Em vez de esperar a hora dos contra-ataques, um time de grande poder financeiro como o Borussia Dortmund deve trabalhar melhor para furar as defesas fechadas que aparecem no seu caminho e é por aí que Edin Terzic deve seguir em 2021. Caso contrário o BVB vai seguir entre os melhores na posse de bola, em finalizações e até mesmo nos gols esperados, mas corre o risco de dar novas frustrações ao seu torcedor.

Postar um comentário

0 Comentários