Guia da Bundesliga 2020/21 - RB Leipzig



A temporada 2020/21 da Bundesliga está prestes a começar. Por isso, a equipe do Fussball Brasil se reuniu para fazer um guia da temporada para você ficar por dentro das equipes que disputarão esta edição da primeira divisão do Campeonato Alemão. Aqui, falaremos sobre o RB Leipzig - clique para conferir o guia completo.

INFORMAÇÕES BÁSICAS

Participação: 5ª
Títulos do Campeonato Alemão: 0
Estádio: Red Bull Arena Leipzig (41,829)
Cidade: Leipzig, Saxônia
Apelido: Touros Vermelhos

COMO FOI A TEMPORADA 2019/20

A temporada do Leipzig foi extremamente positiva. No primeiro ano do técnico Julian Nagelsmann à frente da equipe, a flexibilidade tática aliada a qualidade técnica dos jogadores foi suficiente para os Touros Vermelhos atingirem as expectativas depositadas no início da temporada. Com o terceiro lugar na Bundesliga, o Leipzig vai jogar a UEFA Champions League pela terceira vez desde que subiu à primeira divisão, em 2016. Falando na principal competição continental, a classificação em um grupo equilibrado e o triunfo no mata-mata sobre Tottenham e Atlético de Madrid, mostram o amadurecimento da equipe no cenário europeu. A eliminação para o PSG, de Neymar e Mbappé, nas semifinais não apaga a excelente UCL que fez o time da Saxônia.

Apesar disso, pequenas falhas devem ser apontadas. Em primeiro lugar, a queda de desempenho, após a pausa de inverno. Depois de conquistar o primeiro turno, com 4 pontos de vantagem sobre o Bayern de Munique, o Leipzig não só viu os bávaros os ultrapassarem, como, também, ficaram 16 pontos atrás do campeão, além do risco real de quase não se classificar para a UCL. Em segundo lugar, a dificuldade de enfrentar adversários diretos: contra os cinco primeiros colocados, foi apenas 1 vitória em 8 jogos. 

O QUE ESPERAR DA TEMPORADA 2020/21


A grande interrogação é como o Leipzig vai lidar com a ausência de Timo Werner. O destaque alemão foi o grande nome dos Touros Vermelhos nos últimos anos e os números dizem isso: 91 gols e 72 assistências, em 222 jogos. Para a reposição, o clube foi buscar, na filial, o coreano Hwang, que está alguns níveis abaixo de Werner.

Por outro lado, seria um exagero dizer que o Leipzig sofria de uma “Werner-dependência”. Jogadores de qualidade não faltam e as várias alternativas na tática e no estilo de jogo praticado por Nagelsmann faz acreditar que, ao menos, uma nova classificação para a UEFA Champions League será alcançada, sem grandes sustos. Destaques da temporada anterior, como Upamecano e Sabitzer permanecem na equipe. Se crescer nos grandes jogos e evoluir em relação à temporada passada, o torcedor pode até mesmo sonhar com um ataque ao título.

QUEM CHEGOU E QUEM SAIU

Contratações: Benjamin Henrichs (23 anos/Monaco – empréstimo), Hee-Chan Hwang (24 anos/RB Salzburg)

Promovidos: Tim Schreiber (18 anos/RB Leipzig U-19), Frabrice Hartmann (19 anos/RB Leipzig U-19), Hugo Novoa (17 anos/RB Leipzig U-19) e Dennis Borkowski (18 anos/RB Leipzig U-19)

Saídas: Jean-Kevin Augustin (23 anos/Leeds United), Ethan Ampadu (19 anos/Chelsea – fim de empréstimo), Mads Bidstrup (19 anos/Brendford), Tom Krauss (19 anos/Nürnberg – emprestado), Patrik Schick (24 anos/Roma - fim de empréstimo), Timo Werner (24 anos/Chelsea) e Hannes Wolf (21 anos/Borussia Mönchengladbach – emprestado).

DESTAQUE (MARCEL SABITZER)

Com a partida de Werner para o Chelsea, todo o protagonismo ficará por conta de Sabitzer. Podendo jogar como interior ou mesmo partindo da ponta pra dentro, construindo as jogadas, o austríaco tem criatividade e não exime de pisar a área para finalizar. Para concluir, ainda tem no chute de longa distância, mais uma qualidade.



FIQUE DE OLHO (HEE-CHAN HWANG)

Idade: 24 anos
Posição: Atacante

O jovem sul-coreano já entrará pressionado com a missão de substituir Timo Werner. Mas se for julgar pelo seu desempenho no Red Bull Salzburg, a nova contratação tem tudo para dar certo, também, no outro time da Red Bull. Na Áustria, foram 45 gols e 29 assistências, em 126 jogos.



COMO JOGA E TIME BASE

Se há algo que marca os trabalhos de Nagelsmann, é a flexibilidade e variabilidade tática. Dependendo do adversário e da situação do jogo, pode ser vertical ou prezar, um pouco mais, pela posse de bola. Na construção de jogo, pode se utilizar da qualidade com a bola no chão de Upamecano e a criatividade de Sabitzer, ou mesmo a bola direta, ativando Poulsen para fazer o pivô e, então, explorar a velocidade de Nkunku e a infiltração de Olmo.

Além disso, muita vezes se defende num 4-3-3, com Laimer fechando a linha de defesa e ataca no 3-4-3 ou 3-4-2-1, quando o lateral de origem ganha liberdade para ir à linha de fundo. Ainda conta com a qualidade Klostermann e Halstenberg, “zagueiros-laterais” que podem dar profundidade e chegar à linha de fundo.

3-4-2-1: Gulacsi; Klostermann, Upamecano e Halstenberg; Laimer, Sabitzer, Kampl e Heinrichs; Olmo, Poulsen e Nkunku.



PALPITE

Vitor Rawet (Chucrute FC): Com o elenco que tem e um treinador bastante qualificado, o palpite é que os Touros Vermelhos repitam a 3ª posição da última temporada.
RB Leipzig Brasil: 3º lugar 

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.