Caravana do Amor: Como a torcida do Tennis Borussia Berlin protestou contra um presidente ditador


Este artigo foi baseado em uma thread no Twitter do @ftamsut 

Você provavelmente nunca ouviu falar no Tennis Borussia Berlin, mas o clube da capital alemã até possui certa tradição na cidade local. Fundado em 1902, o TeBe ao longo dos anos foi uma equipe que não figurou entre as principais forças do futebol alemão, tendo disputado a Bundesliga apenas duas vezes em toda sua história. Na grande parte do tempo, a instituição berlinense sempre alternou entre as segunda, terceira e quarta divisões do futebol nacional. E, atualmente, a equipe joga a quinta divisão do futebol alemão, na Oberliga Nord, uma das divisões regionais que compõe o quinto escalão.

Nos últimos anos, o clube tem vivido tempos turbulentos politicamente. Sendo comandados por Jens Redlich, que além de presidente da agremiação, também é investidor e patrocinador, a torcida passou por dias de angústia. De personalidade controversa, Redlich acumulou desafetos durante todo o período em que esteve à frente do TeBe. Desde funcionários a diretores, foram vários os pedidos de demissão. Um dos membros do conselho do clube inclusive classificou o mandatário como "irremediavelmente narcisista". Após tantas polêmicas, até que se tentou através de uma votação no conselho uma mudança na política do clube, mas a situação permaneceu a mesma quando vários novos membros apareceram votando em apoio à Redlich. O curioso é que, além de serem novos, eles também não tinham qualquer vínculo com o clube: Se tratavam de pessoas da Bulgária, contratadas pelo próprio presidente. Tal atitude, obviamente, deixou a torcida furiosa, que tratou de dar início a um protesto extremamente inovador. Ali nasceria a ''Caravana do Amor''.

#CaravanOfLove


O Tennis Borussia Berlin nunca teve uma torcida muito numerosa, é verdade, mas os Ultras do clube sempre se destacaram pelo engajamento para com a equipe. De ideologia democrática, anti-homofóbica e anti-racismo, os fãs do TeBe passaram a acompanhar outras equipes como protesto ao momento vivido pelo clube. Sim, os Ultras percorreram longos caminhos e fizeram cansativas viagens para apoiar clubes com ideologias e histórias parecidas. Desde o vizinho Makkabi Berlin, até o primo pobre de Leipzig, o Rot Stern. Também compareceram em partidas do "xará" Tennis Borussia Rambach, da cidade de Wiesbaden. Para se ter noção da magnitude do caso, Wiesbaden fica a 570km da capital Berlin. A Caravana do Amor, como foi intitulada pelos torcedores, vendeu ingressos, gerando um lucro que foi totalmente destinado a uma ONG que salva vidas de refugiados em alto mar. O protesto ganhou popularidade, sendo inclusive reconhecido pela revista 11Freunde, que o classificou como a "Ação de fãs do ano".

Torcedores do TeBe e do Rot Stern Leipzig marcham juntos (Divulgação/t-online.de)

Após as ações, no dia 31 de Julho de 2019, Jens Redlich comunicou sua saída do conselho do clube, abrindo mão da presidência. Desta forma, os torcedores do TeBe puderam voltar a assistir uma partida do clube do coração de perto novamente. No primeiro jogo da temporada 19/20, cerca de 1.300 torcedores violetas estiveram presentes de visitante e acompanharam a vitória do Tennis Borussia Berlin por 4 a 2 contra o Tasmania Berlin. E, depois de protestos, apoio a outros clubes, torcidas e culturas, os fãs voltaram a comemorar o que desejaram por muito tempo: a liberdade e a vitória do TeBe.




Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.