Jogadores brasileiros que passaram pela Alemanha e talvez você não se lembre

Ao longo dos anos muitos brasileiros passaram e passam pelo Campeonato Alemão, a Bundesliga. Contudo, veja aqui no Fussball Brasil uma lista de jogadores que, talvez, você sequer se lembre que atuou na terra do chucrute

Thiago Neves

Thiago Neves em campo diante do Bayer Leverkusen em 2008 (Foto: Krafft Angerer/Bongarts/Getty Images)

Atualmente no Cruzeiro, o meio-campista Thiago Neves passou pelo futebol alemão na temporada de 2008/09, quando atuou pelo Hamburgo, chegando junto ao Fluminense com o status de substituto do holandês Rafael van der Vaart. Foram nove partidas disputadas com a camisa dos Rothosen, sendo seis pela Bundesliga e três pela extinta Taça da UEFA - atual UEFA Europa League. Thiago não fez grandes feitos em Hamburgo, foram apenas duas assistências, o que o fez procurar novos ares, portanto, assinou com o Al-Hilal da Arábia Saudita no dia 31 de janeiro de 2009. Nos dias atuais, Thiago Neves tem 33 anos e atuando pelo Cruzeiro, até então já conquistou dois títulos de Copa do Brasil.

Renato Augusto 

Oliver Sorg, Renato Augusto e André Schürrle, Freiburg vs. Bayer Leverkusen (Foto: Lars Baron/Bongarts/Getty Images)
Campeão olímpico em 2016 e um dos jogadores da Seleção Brasileira na Copa do Mundo de 2018, Renato Augusto passou pelo futebol alemão e não foi por pouco tempo. Em julho de 2008, o Bayer Leverkusen pagou 10 Milhões de Euros pelo jogador, que chegou junto ao Flamengo e, com boas atuações, logo caiu nos braços dos torcedores Werkselfs. Foram cinco temporadas na equipe, tempo suficiente para mostrar seu talento. Sua temporada de maior sucesso na equipe foi a 2010/11, quando balançou as redes por oito vezes e concedeu 11 assistências.

Renato é um jogador que sofre bastante com lesões ao longo de sua carreira, e na sua passagem por Leverkusen não foi diferente. Na temporada 2011/12 teve que passar por operação no joelho, o que o deixou fora dos gramados por meses. Ao todo, Renato Augusto atuou por 126 partidas com o clube alemão, marcou 12 gols e concedeu 27 assistências. Em 2013, o brasileiro decidiu regressar ao seu país natal após não conseguir ter sequencia na equipe devido às lesões, sendo assim, acertou com o Corinthians. Atualmente, Renato Augusto tem 31 anos e está no Beijing Guoan da China.

Carlos Alberto

Carlos Alberto tentando se livrar de Zé Roberto e Bastian Schweinsteiger (Foto: Friedemann Vogel/Bongarts/Getty Images)

Com direito a gol do título do FC Porto na UEFA Champions League de 2003/04, o brasileiro Carlos Alberto também passou pelo futebol alemão. Foram apenas cinco partidas com a camisa dos Papagaios na temporada 2007/08, não marcando nenhum gol e nem aplicando assistências. Em entrevista recente à FOX Sports, Carlos disse que teve problemas de insonia, devido à mudança climática e de fuso horário, e que foi incompreendido pelo técnico Werderener da época: Thomas Schaaf. Carlos Alberto chegou a dizer na entrevista que um certo dia disse para o treinador que o problema dele era porque o jogador tinha um salário maior que o dele, que era treinador. A seguir, após essa séria de desentendimentos com o técnico e os dirigentes do Werder Bremen, o jogador regressou para o Brasil, e atuou pelo São Paulo. Atualmente, Carlos Alberto tem 34 anos e atua no Boavista, que disputa a primeira divisão do Campeonato Carioca

Fábio Luciano 

Fábio Luciano em ação pelo FC Köln (Foto: Alexander Hassenstein/Bongarts/Getty Images)
O xerifão Fábio Luciano, bastante conhecido por torcedores corintianos e flamenguistas, passou pelo FC Köln na temporada 2006/07. Disputando a 2. Bundesliga, a segunda divisão do Campeonato Alemão, Fábio não marcou nenhum gol pelos Bodes, mas ajudou bastante no sistema defensivo da equipe, que acabou na nona colocação naquela temporada. Da Alemanha, o jogador rumou para o Brasil, precisamente, para o Rio de Janeiro, onde defendeu o Flamengo até sua aposentadoria, e é muito querido pelos torcedores do Rubro-Negro Carioca.

Réver

Réver em sua única partida com a camisa dos Lobos (Foto: divulgação/UEL)

Muitos se recordam que o zagueiro Réver foi campeão da Libertadores de 2013 atuando pelo Atlético-MG, mas poucos lembram quando o zagueirão passou pela equipe do VfL Wolfsburg no ano de 2010. O jogador ficou por sete meses na Alemanha, se apresentou para equipe com uma fratura na mão, que o afastou dos gramados por bastante tempo, dificultando sua adaptação e iniciação com os Lobos. Réver só atuou em uma partida, por apenas 20 minutos, e não foi na sua posição de origem, foi como atacante, na tentativa frustrada de evitar eliminação diante do Fulham pela UEFA Europa League. Atualmente Réver tem 34 anos e está atuando novamente no Galo Mineiro.

"Eu tive uma passagem muito rápida no futebol alemão, onde eu acabei jogando 20 minutos. Fiquei 7 meses e joguei só 20 minutos. A minha venda já tinha sido concretizada, fui jogar o último jogo pelo Grêmio, tive uma lesão na mão. Até poderia melar a negociação, mas o pessoal do Wolfsburg pediu para que eu me apresentasse para ver a gravidade. Nesse período eu tive que fazer uma cirurgia na mão, onde acabou dificultando os treinamentos. Quando voltei já estava a equipe totalmente definida. O treinador que pediu a contratação acabou sendo mandado embora. E aí numa necessidade, num jogo de mata-mata, a gente precisava vencer e estávamos empatando em 1 a 1 em casa, no final do jogo, pela estatura, o treinador me colocou de atacante. E mesmo assim não conseguimos vencer”, disse Réver em entrevista ao programa Bola da Vez, da ESPN.


Maicosuel 

Maicosuel sendo marcado por Per Mertesacker, Hoffenheim vs. Werder Bremen  (Foto:  Martin Rose/Bongarts/Getty Images)
Após viver boa fase no Botafogo, o meio-campista Maicosuel rumou para Alemanha na temporada 2009/10, e lá vestiu a camisa do TSG Hoffenheim, quem nem sonhava se tornar a equipe competitiva que é hoje. O habilidosos jogador caiu nos braços da torcida, que logo criou expectativas, que no fim se tornaram frustrantes, tendo em vista que a passagem do jogador não foi tão brilhante. Chamou atenção pela sua versatilidade na parte ofensiva do campo, atuando também pelos lados, obteve algumas boas atuações em Sinsheim, ao todo foram 31 partidas, cinco gols e cinco assistências. Ao fim da temporada, o jogador mostrou interesse em voltar o Brasil e foi repatriado pelo Botafogo, que desembolsou quatro milhões de euros (aproximadamente 9 milhões de reais), 500 mil euros a menos do que o valor desembolsado pelo clube alemão no ano anterior, quando o atleta ainda atuava na equipe carioca. Atualmente, Maicosuel tem 32 anos e atua pelo Paraná Clube - clube por qual ele despontou no inicio da carreira - na Série B do Campeonato Brasileiro.


Zé Roberto

Zé Roberto comemorando gol pelo Schalke 04 (Foto: Rys/Bongarts/Getty Images)
Quando falamos de Bundesliga e Zé Roberto, automaticamente nos lembramos do craque brasileiro que passou por Bayer Leverkusen, Hamburgo e FC Bayern München, mas não, dessa vez não é esse Zé Roberto que está em pauta, e sim àquele Zé Roberto campeão brasileiro com o Flamengo em 2009. Zé Roberto chegou ao Schalke 04 em 2008 e por lá não deixou saudades. Foram apenas três partidas com a camisa da equipe de Gelsenkirchen, marcando apenas um gol, que foi na sua estréia contra o VfB Stuttgart. Após se desentender com a diretoria do Schalke 04, por não ter comparecido à reapresentação do clube, Zé Roberto voltou ao Brasil para atuar no Flamengo, e por lá foi campeão como já dito. Zé Roberto encerrou sua carreira em 2015, atuando pelo Botafogo FC, de São Paulo.

“Nós tentamos entrar em contato com ele (Zé Roberto) por meio de seu agente Roger Wittman, que organizou a transferência do jogador para o nosso clube”, declarou Muller sobre o jogador, ex-Botafogo.", explicou o treinador do Schalke à época, Andreas Müller.

Cícero 

Cícero comemorando um gol pelo Hertha BSC (Foto: Vladimir Rys/Bongarts/Getty Images)

Após se destacar pelo Fluminense em 2007 e 2008, Cícero chegou à Bundesliga para defender o clube da capital, o Hertha BSC. Estreou no campeonato na temporada 2008/09 e foi bem atuando com a camisa dos Alte Dame, por onde jogou até o fim da temporada 2009/10. Em toda sua trajetória em Berlim: foram 84 partidas, 11 gols e 13 assistências. A seguir, trocou de clube, foi para o VfL Wolfsburg, seguindo os passos do também brasileiro Marcelinho Paraíba, ídolo do Hertha BSC que também atuou pelos Lobos. No Wolfsburg, na temporada 2010/11, Cícero não conseguiu repetir a boa passagem que teve no Hertha, muita das vezes esteve como suplente e não foi utilizado, foram 24 jogos e apenas dois gols e duas assistências, sendo assim, ao fim de temporada o jogador se juntou ao São Paulo. Hoje, Cícero é jogador do Botafogo e tem 34 anos. 

Pedro Geromel

Geromel lutando pela bola com o alemão Mario Gómez (Foto: CHRISTOF STACHE/AFP/GettyImages)
Campeão com o Grêmio da Libertadores de 2017, o zagueiro Pedro Geromel teve passagem de oito temporadas pelo FC Köln. Chegou a equipe alemã em julho de 2008, junto ao Vitória de Guimarães de Portugal. Nos seus primeiros anos de FC Köln, Geromel chegou a ser nomeado o melhor zagueiro da Bundesliga por duas temporadas consecutivas e também conquistou a braçadeira de capitão. Apesar dos bons feitos, Geromel teve oscilações e não obteve uma boa sequencia com os Bodes, que à época era uma equipe que figurava no meio da tabela do campeonato e, ás vezes, até mesmo lutava contra o rebaixamento. Na temporada 2011/12, a luta contra o rebaixamento não foi eficaz, o FC Köln fora rebaixado, Geromel tampouco tinha espaço, então os Bodes o emprestaram para o Mallorca da Espanha. Após o regresso do empréstimo, novamente foi emprestado, dessa vez voltando ao seu país natal, onde chegaria ao Grêmio em 2013 com contrato até 2016 - que ao fim, se tornaria em definitivo. Ao todo Geromel disputou 123 jogos, marcou quatro gols e deu duas assistências com a camisa do FC Köln. Atualmente tem 33 anos e é um dos melhores defensores em atividade no Brasil.


Carlos Eduardo

Carlos Eduardo atuando pelo Hoffenheim (Foto: Joern Pollex/Bongarts/Getty Images)
Com boa passagem por Sinsheim, o meio-campista Carlos Eduardo jogou por três temporadas no Hoffenheim. Carlos Eduardo chegou na temporada 2007/08 e chamou atenção por suas habilidades com a bola, marcando gols e dando assistências, o que chamou atenção do técnico Dunga, que o convocou para algumas partidas da Seleção da Brasileira em 2009. Carlos Eduardo disputou 90 partidas pelo Hoffenheim, marcou 19 gols e distribui 22 assistências. Em 2010 decidiu deixar à Alemanha e seguiu para Rússia, por onde defendeu o Rubin Kazan. Atualmente, Carlos tem 31 anos e atua no Coritiba.

Fágner

Fágner tentando se livrar de Franck Ribéry, Wolfsburg vs, FC Bayern (Foto: Joern Pollex/Bongarts/Getty Images)

O lateral-direito Fágner passou pelo Wolfsburg na temporada 2012/13. Foram 30 partidas com a camisa dos Lobos, tendo concedido duas assistências. Fágner chegou ao Wolfsburg após boa passagem pelo Vasco da Gama, clube que retornaria por empréstimo após passagem pela Alemanha. Em 2015, o Wolfsburg confirmou a venda do jogador para o Corinthians, clube do qual joga nos dias atuais. Na ausência por lesão de Daniel Alves, Fágner foi um dos jogadores da Seleção Brasileira na Copa do Mundo de 2018.

Bruno Henrique

Bruno Henrique sendo marcado por Marcelo em partida da UEFA Champions League (Foto: Jean Catuffe/Getty Images)
Sendo mais um brasileiro que passou pelos Lobos, Bruno Henrique jogou na equipe na temporada 2016/17, após chegar de grandes atuações pelo Goiás. Bruno atuou em 17 partidas, não marcou nenhum gol, mas concedeu duas assistências. Contudo, não se firmou no clube, foi vendido ao Santos em 2017, onde viveu boa fase mas na temporada seguinte caiu de rendimento. Atualmente com 28 anos, Bruno defende o Flamengo e é uma das apostas do Rubro-Negro para a temporada.

Tinga

Tinga no Borussia Dortmund (Foto: Ronny Hartmann/Bongarts/Getty Images)

Campeão da Libertadores de 2006 com o Internacional com direito a gol do título, o meio-campo Tinga seguiu para o Borussia Dortmund após conquistar a América pela primeira vez. Jogando pelo Borussia Dortmund, Tinga ganhou o respeito dos torcedores e da diretoria do clube, devido sua exemplar disciplina e identificação com a equipe Aurinegra. Foram quatro temporadas defendendo o BVB, sendo 122 jogos, 12 gols e 16 assistências. Tinga não conquistou títulos no Borussia Dortmund e teve muitos problemas com lesões, mas ainda sim tem o reconhecimento merecido, sendo até hoje chamado para datas festivas e fazendo parte da equipe de Lendas do Borussia Dortmund.

E esses foram 13 jogadores que passaram pelo futebol alemão num passado recente e que não são lembrados por suas passagens. Gostou? Lembra de mais alguém? Comente aqui embaixo

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.