Do conselho para sair aos títulos: um ano de ressurgimento para Boateng



"Como amigo, eu recomendaria a ele sair do clube. Ele precisa de um novo desafio, ele parece um corpo estranho". A melhor reação possível ao ouvir essas palavras do seu chefe deve ser de desmotivação. Não foi o que aconteceu com Jerome Boateng depois de receber a recomendação de Uli Hoeness, então presidente do Bayern de Munique. Apesar de começar a temporada entre os reservas, vendo o clube investir alto na defesa, ele terminou as competições domésticas como titular e merecendo elogios.

A atuação na final da Copa da Alemanha foi um ponto alto para o ano de Boateng. Ele e Alaba foram dois dos principais destaques de um time que mal deixou o Bayer Leverkusen passar do meio-campo nos primeiros 30 minutos do jogo. No segundo tempo, enquanto o adversário crescia, o ex-jogador da seleção alemã cortou um cruzamento rasteiro perigoso na área. O austríaco não se conteve e celebrou a jogada dando tapas e empurrões de euforia no companheiro de zaga. Uma das cenas mais marcantes da partida, mesmo que o gol de Sven Bender tenha saído logo na sequência.

As negociações para a saída de Boateng não deram certo, mas não foram só as palavras de Hoeness que o colocaram no fim da fila dos zagueiros do elenco. Mats Hummels saiu no meio de 2019, mas Lucas Hernández chegou como a compra mais cara da história do Bayern de Munique e, assim como o compatriota Benjamin Pavard, foi contratado para reforçar e rejuvenescer a defesa.

Contusões sérias Niklas Süle e do próprio Hernández fizeram a fila andar. O caminho estava aberto, mas logo nos primeiros passos Boateng tropeçou e caiu feio. A goleada desastrosa por 5 a 1 sofrida em Frankfurt começou quando ele foi expulso logo no início da partida. Só que o que parecia o fim, era um recomeço. O jogo contra o Eintracht foi também o da queda de Nico Kovac e permitiu a promoção de Hansi Flick. Entre os grandes méritos do novo treinador, um dos mais evidentes foi o ressurgimento de Thomas Müller e do próprio Boateng.

A ascensão de Müller na temporada é mais visível pelas assistências, mas com Boateng como zagueiro o Bayern também passou a sofrer menos gols. A melhora coletiva fez os jogadores crescerem individualmente. No caso do zagueiro, isso aconteceu em especial depois da paralisação da temporada, quando ficou cada vez mais difícil ver um atacante ou uma bola cruzada na área passando por ele. No jogo contra o Werder Bremen, ele mostrou tudo isso e ainda deu linda assistência no gol que garantiu o título da Bundesliga. O Bayern vencedor desta temporada exige bons lançamentos dos seus defensores e Boateng ainda sabe fazer isso bem.

Em comum entre Müller e Boateng? Os dois campeões mundiais de 2014 estão sem espaço na seleção da Alemanha. Joachim Löw estava no Estádio Olímpico de Berlim vendo a decisão da Copa da Alemanha. Perguntado no intervalo do jogo se as portas ainda estão fechadas para a dupla, o treinador não deu esperanças. "No momento eu diria que sim, contanto que todos os jogadores estejam bem fisicamente", disse Löw, hesitando durante a resposta. No entanto, uma virtude que o zagueiro mostrou na temporada é a de não se abalar com declarações de quem desconfia dele.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.